DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA: QUAL A IMPORTÂNCIA PARA VOCÊ?

O Dia 20 de Novembro foi escolhido como o Dia Nacional da Consciência Negra, por ser o dia da morte de Zumbi dos Palmares (20 de novembro de 1695). Foi estabelecido através do projeto lei 10.639, em 9 de janeiro de 2003.



Porém, o projeto foi idealizado muitos anos antes, na década de 1970, pelo Grupo Palmares, liderado pelo poeta, professor e pesquisador gaúcho Oliveira Silveira, que lutaram pelo reconhecimento da data como marco para a conscientização sobre a situação de extrema desigualdade do povo negro no Brasil.


É um dia de luta, de conscientização e reflexão, não de comemoração.


Quem foi Zumbi dos Palmares


Zumbi foi o grande líder da resistência negra no Brasil. Nasceu no Quilombo dos Palmares, LIVRE, em 1665. Nessa época, os Quilombos eram lugares de resistência, onde escravos negros que conseguiam fugir de seu terrível destino nas fazendas brasileiras, se refugiavam e formavam verdadeiras comunidades autônomas, autogeridas.


O Quilombo mais conhecido do Brasil, Palmares, se localizava onde hoje é o estado de Alagoas.


Aos 6 anos de idade, Zumbi foi capturado e vendido para um missionário Português. A partir daí, foi “educado” dentro de preceitos cristãos, aprendendo português e latim. Em 1670, aos 15 anos, Zumbi conseguiu escapar do cativeiro e retornar para o Quilombo dos Palmares, tornando-se líder da comunidade.


Após uma vida inteira de luta, em 1695, aos 40 anos, Zumbi foi traído e morto, tendo sua cabeça exposta em praça pública, como aviso para os demais escravos, que acreditavam que Zumbi era imortal.



Mal sabiam eles: Zumbi é imortal



Mas Zumbi é sim, imortal. Assim como acontece com os ideais de liberdade e justiça intrínsecos a todos os povos, a luta de Zumbi transcendeu sua morte e o tornou símbolo de resistência, inspirando gerações até os dias de hoje.


E o Dia da Consciência Negra surge como um ato político, um ato de afirmação, de que nós, enquanto sociedade, temos o dever de evoluir e jamais repetir os erros do passado. De que o povo negro tem direito de viver com dignidade e igualdade, sem qualquer tipo de restrição designada única e exclusivamente pela cor da pele. Que enquanto comunidade, temos a obrigação de lutar para que esses direitos sejam respeitados.


Ainda hoje, 325 anos após a morte de Zumbi, estamos longe de viver em um país com igualdade racial.


Ao contrário, as estatísticas da violência, ano após ano, só confirmam o quanto não evoluímos quase nada da época dos Quilombos para cá, o número absurdo de vidas negras perdidas, de formas extremamente violentas.


O quão contraditório e paradoxal é o racismo incrustado num país onde a maioria da população é negra. É o resultado de centenas de anos de opressão, velada ou não.


É a insidiosa ideia (e totalmente equivocada) de que os corpos, cabelos, traços e inteligência do povo negro é inferior, que sutilmente se mostra em atitudes pequenas do dia a dia. É a menina negra que odeia sua cor e seu cabelo, que acha que nunca será alguém de sucesso, sem nem mesmo saber por quê.


Ou que descobre a maneira cruel com que o mundo à sua volta trata as pessoas negras, da não identificação com modelos de beleza e sucesso retratados na mídia.


Negros e pobres morrem mais cedo. Jovens negros são ceifados nas favelas por balas (perdidas ou não). Crianças negras são negligentemente deixadas sozinhas nos elevadores das patroas brancas, sofrendo mortes que poderiam ser evitadas, não fosse o ódio que as classes sociais mais abastadas, de forma geral, nutrem por pobres e pretos.


É isso que precisamos mudar imediatamente. É a consciência de que as vidas negras são tão importantes quanto as vidas brancas.


 


Que as vozes negras não se calem nunca, que a luta não termine, enquanto ainda houver racismo a ser combatido. Esse é o legado que Zumbi deixou e que levaremos adiante.



 

O que o Dia da Consciência Negra significa para você?


Por Joe Ribeiro


O que seria se tivéssemos uma data de consciência humana, qual consciência teríamos ao misturar todas as nossas tragédias em um único dia?


Querer isso é colocar no esquecido a importância de toda e qualquer data que simbolize uma luta, suas dores e suas vitórias.


Querer isso é dar o oportunismo para que tudo se repita ou continue, escravidão, xenofobia, machismo, homofobia e até o dia dos direitos iguais.


No 20 de novembro é sempre a mesma discussão, sempre o mesmo questionamento por pessoas que querem diminuir a importância desta data que não é importante apenas para os pretxs, mais se tornou importante para muitos irmãos brancxs que criaram a consciência de que vivemos em um país e em um mundo formado por uma estrutura extremamente racista.


Fazer com que as pessoas entendam que este dia não foi criado para diminuir outras etnias e sim para enaltecer um povo e uma cultura que sempre foi perseguido, morto e calado.

Este dia é para mostrar que mesmo após a escravidão, preconceito, exclusão, chacotas, ainda estamos e sempre vamos estar aqui para mostrar nosso orgulho, nossos talentos, nossas músicas, danças, fé e religião.


O dia 20 está aí para nos dizer que se algum dia alguém queira repetir os atos do passado será diferente. Não só o dia 20 nos faz lembrar de que não é só a nossa cor que nos une, mas nossa união hoje vem através do nosso orgulho de ser pretos e pretas livres e prontos para destruir por qualquer meio esta estrutura criada e mantida por pessoas que ainda querem mantê-la.


Aceitar o dia 20 de novembro sabendo a sua importância: esta deve ser a verdadeira consciência humana.




Referências


Zumbi dos Palmares


O que é o Dia Nacional da Consciência Negra


Por que o 20 de novembro é o Dia da Consciência Negra


Campanha Vidas Negras - Pelo fim da violência contra a juventude negra no Brasil


IPEA - Pesquisa apresenta dados sobre violência contra negros


Vidas perdidas e Racismo no Brasil - Nota Técnica IPEA


Assassinatos de negros aumentam 11,5% em dez anos e de não negros caem 12,9% no mesmo período, diz Atlas da Violência


Oliveira Silveira

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo