TATUAGEM E COLORISMO: UM ASSUNTO QUE DEVE SER DISCUTIDO

Atualizado: 9 de nov. de 2020

A tatuagem sobre nossas peles traça a nossa própria história na sociedade, seja ela na grandeza de suas ancestralidades, seja como estigma de épocas de sofrimento.


De diversas maneiras sempre cultuamos os nossos em cânticos, pinturas e rituais, usar nossa pele para isso não seria diferente.


A história nos mostra que, como sociedade, somos um dos povos à frente do seu tempo quando o assunto é adornar a própria pele, com símbolos ou marcas que hoje remetem ao início da cultura de se desenhar na própria pele.


Temos como exemplos a múmia encontrada no ano de 2014 na antiga capital egípcia em Luxor. O que sobrou de vestígios mortais revela um corpo coberto por mais de trintas tatuagens como touros, ovelhas, flores de lotus e olhos de Hórus tatuados pelo corpo.


Seria a múmia de uma jovem que aparentemente teria entre 24 a 25 anos quando veio a falecer e teria vivido entre os anos 3070 ou 3300 anos, no reinado de Ramsés II.


Entretanto, há mais descobertas que afirmam que as tatuagens são bem mais antigas, após novas pesquisas feitas nas múmias Homem e Mulher de Gebelein de 5000 anos.


Foram descobertas que as marcas em suas peles não eram apenas feitas pelo tempo, mais sim desenhos que representam um touro e um carneiro da Barbária, estando já há cem anos em um museu do Reino Unido.



Com isso, através desta nova pesquisa, os pesquisadores afirmam que a arte de se desenhar na pele está estimada entre 3351 a 3017 a.C


Temos na cultura dos povos Bodi, Mursi e Suma da Etiópia, Karamojong na Uganda e no povo Neur, no Sudão do Sul, a pratica de escarificação da pele, onde são feitas marcas que formam símbolos, que além de seres utilizados para fins medicinais, eram utilizados também como um rito de passagem para estes povos, principalmente quando da mudança do ciclo da adolescência para idade adulta.


A tatuagem na pele preta vem de tempos antigos. No entanto, com o passar do tempo e com a aumento da valorização da beleza da pele branca, ela sofre mais um preconceito, um preconceito estético, e isso acaba por desvalorizar e até mesmo desmotivar que os nossos as façam.


Dentro de uma cultura como o metal ou rock, em geral, onde a tatuagem caba sendo algo de identificação de uma tribo ou turma, as pessoas pretas destes movimentos se veem bombardeadas de lendas e críticas para tal adorno em sua pele.



Em uma matéria do site Wonder Girls Tatoo, elas colocam por terra os mitos da tatuagem em pele preta, expressando que sim, a pele preta pode ser tatuada e com cores, pois é de responsabilidade profissional do tatuador ter conhecimento dos diversos tons e tipos de pele.


A maioria dos tatuadores pregam a inviabilidade de tatuar a pele preta e sempre com um argumento vago. Quando nos direcionamos a estúdios de tatuagem a resposta da pergunta sobre cor é sempre áspera, dizendo imediatamente que não pega e ponto final.


E isso deixa uma lacuna na cabeça de muitos pretos que precisam compreender o real motivo do porque isso acontece.


Por isso existem tatuadores dispostos a explicar as texturas e condições na pele preta. Existe um tatuador (sallestattoo/maior curso de tattoo da internet) que disponibilizou pelo menos 3 ou quatro vídeos falando sobre pele negra, onde nos comentários alguns tatuadores dizem que somos “politicamente corretos”, simplesmente pelo fato de ouvir não. É isso mesmo o que você leu.


Para chamar atenção das pessoas para o vídeo, usou o título PAREM DE TATUAR OS NEGROS, assim explicando como é a pele, como age a tinta e como fica a tatuagem bem feita em pele preta.



Além disso, referencia um artigo escrito por um médico para mostrar a visão de um profissional da medicina em relação a pele.Também mostra tipos de tatuagens que realmente não ficariam bem por causa do realismo de cores e que afetam significativamente trazendo as famosas Queloides que são muito mais propícias na pele preta.


Ou seja, um profissional relacionado a tatuagem deve conversar com a pessoa a respeito, explicar seu possível receio de fazer isso e entender quando falamos do famoso colorismo. Colorismo é maneira de classificar os tons de preto, que vão do mais claro ao mais escuro, o que significa que não somos todos iguais.


Outro assunto polêmico.


Hoje existe uma gama de ideias relacionadas ao desenho, e o próprio tatuador pode ter ideias para a tatuagem se sobressair da melhor maneira possível.


Infelizmente muitos pretos evitam eventos de tatuagem por não se sentirem representados e por não serem vistos e isso é algo realmente decepcionante. Você pode até achar besteira, mas é a realidade de muitos.


Ao contrário do que o senso comum prega, não existem limitações para tatuagens em pele negra. Desenhos coloridos ou traçados e preenchimentos apenas com tinta preta podem ser aplicadas em tons de pele mais escuros sem problema algum.


E o que não faltam são artistas espalhados por todo o Brasil prontos para atender pessoas pretas que desejam estampar o corpo. (hypeness sobre tattoo em pele preta).


Nós temos também Danee Suave, que dá uma breve explicação, mas o mais important

e é o que ela diz sobre ter medo por ser vista por preconceituosa e o preto do lado dela imediatamente diz que tem de falar e esse é o ponto, queremos ouvir a explicação e isso não significa que iremos julgar o tatuador, o que fica é o fato de não haver a intenção de deixar claro e o fato de recusarem sem pensar.


Mais uma vez vem a tecla do colorismo, a cor que pega em um preto claro pode não pegar em um preto escuro, mas o que acontece é que mesmo sendo preto claro já fica o não imediato de que não dará certo.



É importante que entremos nesse debate, pois muitas vezes essas questões sequer são discutidas.


Revisão de texto, Ju Elias

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo